Home   |    Mapa do site
Parceiros



TAGS
Notícias
Home > Notícias > Leitura de Notícia
Tamanho do texto: A- A+

17/03/10 - Goiânia ganha parque Jerivá no Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água, 22, será celebrado em Goiânia com uma extensa programação envolvendo crianças e educadores ambientais

Fonte: Ascom - Assessoria de Comunicação da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA)

O Dia Mundial da Água, 22, será celebrado em Goiânia com uma extensa programação envolvendo crianças e educadores ambientais. De presente a cidade ganhará mais uma área de preservação ambiental, o prefeito Iris Rezende (PMDB) inaugura o Parque Municipal Jerivá João Bosco Gomes Louza. A solenidade está marcada para  às 18 horas.

O Parque Municipal Jerivá João Bosco Gomes Louza é a 18º unidade de preservação projetada pela Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), que está localizado entre a Rua Anicuns e Rua Belo Horizonte, na divisa dos Setores Vila Vera Cruz, Vila Fernandes e Centro-Oeste.

Uma parceria firmada entre a Prefeitura de Goiânia, Goldfarb Construtora e Incorporadora e Terrano Empreendimentos, proporcionará aos moradores da capital a oportunidade de desfrutar de mais um parque, que, junto ao poder público, realizaram mais uma obra de recuperação de áreas degradadas.

A obra de implantação do parque está sendo financiada pelas duas construtoras, em regime de compensação ambiental. No caso das construtoras Goldfarb e Terrano, a aplicação de recursos na implantação do Parque Jerivá acontece como compensação ambiental pela construção das torres do Residencial Brisas do Parque, um empreendimento que está sendo executado em frente à unidade de conservação.

Esse mecanismo financeiro tem o objetivo de compensar os efeitos de impactos ambientais não-mitigáveis. A compensação ambiental pode ser aplicada tanto no ato do licenciamento ambiental de um empreendimento ou atividade potencialmente poluidora, ou quando ocorre um dano ambiental efetivo. No caso, o responsável pelo empreendimento, atividade ou dano ambiental firma um termo de compromisso com a Amma, onde ele deverá financiar a implantação e a manutenção das unidades de conservação, destinando para tanto um valor que não seja inferior a 0,5% do custo total do empreendimento.

Área de preservação
Com 22.272,28 metros quadrados a unidade está localizada na Região Campinas, em área de preservação ambiental, e tem no seu entorno imediato uma área em fase de crescimento e consolidação com os seguintes bairros: Setor Centro-Oeste, Vila Vera Cruz, Vila Fernandes, Vila São Luiz, Vila Perdiz, Urias Magalhães e Nossa Senhora Aparecida e outros. Sua situação antes da intervenção era de completa antropização em virtude da ocupação anterior da área por edificações que foram demolidas para a implantação deste parque.

Projeto de drenagem do Parque Jerivá
Um dos pontos principais que foram considerados durante o processo de implantação desta Unidade de Conservação foi o reuso da água para abastecimento do lago. A obra realizada consistiu na construção de um lago que é abastecido por afloramentos existentes na área, que anteriormente sofriam com aterros constantes dos resíduos de construção civil.

A gerente de Contenção e Recuperação de Erosões e Afins (GECRE), Karla Maria Silva de Faria, explica que a fim de contribuir para a manutenção do lago e ainda visando adotar o sistema de drenagem urbana sustentável, a captação da água pluvial (água das chuvas) dos telhados dos novos empreendimentos será armazenada numa caixa de retenção, que será bombeada e direcionada para uma valeta de infiltração instalada na cabeceira do lago. Apenas o excedente, ou seja, o volume não infiltrado será encaminhado para a galeria de água pluvial já existente, evitando enchentes e a sobrecarga das redes públicas.

Para o presidente da Amma, Clarismino Luiz Pereira Junior, o sistema de drenagem sustentável instalado no Parque Jerivá, inédito em Goiânia, é uma conquista para a população da região e também para o meio ambiente. “Assim como aconteceu com o Parque Cascavel, a área abandonada foi revitalizada e servirá como local de educação e lazer para centenas de pessoas, além de valorizar o espaço urbano”, afirmou.

Obra executada
Os elementos componentes da obra de arquitetura e engenharia ambiental (equipamentos e mobiliários urbanos) foram projetados e construídos utilizando as áreas livres destinadas às atividades de lazer, convivência e administração, que apresenta uma estrutura física composta por lago com bordas enrocadas, pista de caminhada, estação de ginástica, pergolados, estar de convivência, parque infantil, administração/sanitário público; bancos de madeira, banco de alvenaria e coletores de lixo. O parque conta também com iluminação interna, comunicação visual, recomposição florística e paisagística.

Goiânia: capital verde do Brasil
O número de parques totalmente implantados na cidade, que em janeiro de 2005 era de apenas seis, foi praticamente triplicado, saltando para 23, em fevereiro de 2010, tornando-se referência nacional em termos de preservação ambiental.

Os seis parques totalmente implantados são: Areião, Vaca Brava, Gentil Meireles, Lago das Rosas, Botafogo e Bosque dos Buritis. Hoje, a cidade conta também com os Bosques do Café, José Eduardo Nascimento, Boa Vista, Bougainville e Índia Diacuí e com os Parques Flamboyant, Sabiá, Beija-Flor, Taquaral, Liberdade, Fonte Nova, João Carlos Fernandes (Parque da Lagoa), Itatiaia, Nossa Morada, Cascavel, Carmo Bernardes e Parque Bosque das Laranjeiras. Além disso, a Amma promoveu a completa revitalização do Bosque dos Buritis e finaliza agora as obras de revitalização do Lago das Rosas e do Parque Areião. Conforme um estudo realizado pela Agência, Goiânia é a capital brasileira que possui maior número de metros quadrados de áreas verdes por habitantes no Brasil.

Segundo o levantamento, Goiânia possui 94 metros quadrados de áreas verdes por habitante, superando Curitiba, que possui 51 metros quadrados de área verde por habitante e era, até então, considerada a capital brasileira que ocupava o primeiro lugar no ranking desse tipo de comparativo. A campeã mundial, a cidade de Edmonton, no Canadá, tem um quantitativo pouco maior: 100 metros quadrados de área verde por habitante. Conforme a Organização das Nações Unidas (ONU) é recomendável que uma cidade tenha pelo menos 12 metros quadrados de área verde por habitante. Goiânia supera hoje em quase oito vezes esse índice.

Goiânia também é a capital estadual brasileira com o maior número de árvores plantadas em vias públicas do País. Esse resultado também foi fruto de um estudo feito pela Amma. Conforme levantamento dos técnicos da Amma, Goiânia possui hoje cerca de 950 mil árvores plantadas em vias públicas, superando Curitiba (cerca de 300 mil árvores) e João Pessoa (cerca de 40 mil), que eram referências nacionais em termos de arborização. O estudo mostra que há 0,79 árvore por habitante em Goiânia, enquanto em Curitiba esse índice é de 0,17 e em João Pessoa de 0,06.

Serviço

Assunto:Goiânia ganha Parque Jerivá no Dia Mundial da Água

Data:22, segunda-feira

Horário:18 horas

Local:Rua Anicuns e Rua Belo Horizonte, na divisa dos Setores Vila Vera Cruz, Vila Fernandes e Centro-Oeste

Contato:Rachel Dourado-Assessoria de imprensa

3524 1117

Reportagem: Rachel Dourado e Mauro Junio

Fotos :



Comentários



Mais notícias

 

   


O conteúdo deste site é publicado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 2.5. Brasil.
A reprodução dos textos é livre, desde que citada a fonte e o autor.

Produzido por www.alicom.com.br

* Todos os campos,com exceção da mensagem,são obrigatórios

Goiânia ganha parque Jerivá no Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água, 22, será celebrado em Goiânia com uma extensa programação envolvendo crianças e educadores ambientais

Por Ascom - Assessoria de Comunicação da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA)

O Dia Mundial da Água, 22, será celebrado em Goiânia com uma extensa programação envolvendo crianças e educadores ambientais. De presente a cidade ganhará mais uma área de preservação ambiental, o prefeito Iris Rezende (PMDB) inaugura o Parque Municipal Jerivá João Bosco Gomes Louza. A solenidade está marcada para  às 18 horas.

O Parque Municipal Jerivá João Bosco Gomes Louza é a 18º unidade de preservação projetada pela Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), que está localizado entre a Rua Anicuns e Rua Belo Horizonte, na divisa dos Setores Vila Vera Cruz, Vila Fernandes e Centro-Oeste.

Uma parceria firmada entre a Prefeitura de Goiânia, Goldfarb Construtora e Incorporadora e Terrano Empreendimentos, proporcionará aos moradores da capital a oportunidade de desfrutar de mais um parque, que, junto ao poder público, realizaram mais uma obra de recuperação de áreas degradadas.

A obra de implantação do parque está sendo financiada pelas duas construtoras, em regime de compensação ambiental. No caso das construtoras Goldfarb e Terrano, a aplicação de recursos na implantação do Parque Jerivá acontece como compensação ambiental pela construção das torres do Residencial Brisas do Parque, um empreendimento que está sendo executado em frente à unidade de conservação.

Esse mecanismo financeiro tem o objetivo de compensar os efeitos de impactos ambientais não-mitigáveis. A compensação ambiental pode ser aplicada tanto no ato do licenciamento ambiental de um empreendimento ou atividade potencialmente poluidora, ou quando ocorre um dano ambiental efetivo. No caso, o responsável pelo empreendimento, atividade ou dano ambiental firma um termo de compromisso com a Amma, onde ele deverá financiar a implantação e a manutenção das unidades de conservação, destinando para tanto um valor que não seja inferior a 0,5% do custo total do empreendimento.

Área de preservação
Com 22.272,28 metros quadrados a unidade está localizada na Região Campinas, em área de preservação ambiental, e tem no seu entorno imediato uma área em fase de crescimento e consolidação com os seguintes bairros: Setor Centro-Oeste, Vila Vera Cruz, Vila Fernandes, Vila São Luiz, Vila Perdiz, Urias Magalhães e Nossa Senhora Aparecida e outros. Sua situação antes da intervenção era de completa antropização em virtude da ocupação anterior da área por edificações que foram demolidas para a implantação deste parque.

Projeto de drenagem do Parque Jerivá
Um dos pontos principais que foram considerados durante o processo de implantação desta Unidade de Conservação foi o reuso da água para abastecimento do lago. A obra realizada consistiu na construção de um lago que é abastecido por afloramentos existentes na área, que anteriormente sofriam com aterros constantes dos resíduos de construção civil.

A gerente de Contenção e Recuperação de Erosões e Afins (GECRE), Karla Maria Silva de Faria, explica que a fim de contribuir para a manutenção do lago e ainda visando adotar o sistema de drenagem urbana sustentável, a captação da água pluvial (água das chuvas) dos telhados dos novos empreendimentos será armazenada numa caixa de retenção, que será bombeada e direcionada para uma valeta de infiltração instalada na cabeceira do lago. Apenas o excedente, ou seja, o volume não infiltrado será encaminhado para a galeria de água pluvial já existente, evitando enchentes e a sobrecarga das redes públicas.

Para o presidente da Amma, Clarismino Luiz Pereira Junior, o sistema de drenagem sustentável instalado no Parque Jerivá, inédito em Goiânia, é uma conquista para a população da região e também para o meio ambiente. “Assim como aconteceu com o Parque Cascavel, a área abandonada foi revitalizada e servirá como local de educação e lazer para centenas de pessoas, além de valorizar o espaço urbano”, afirmou.

Obra executada
Os elementos componentes da obra de arquitetura e engenharia ambiental (equipamentos e mobiliários urbanos) foram projetados e construídos utilizando as áreas livres destinadas às atividades de lazer, convivência e administração, que apresenta uma estrutura física composta por lago com bordas enrocadas, pista de caminhada, estação de ginástica, pergolados, estar de convivência, parque infantil, administração/sanitário público; bancos de madeira, banco de alvenaria e coletores de lixo. O parque conta também com iluminação interna, comunicação visual, recomposição florística e paisagística.

Goiânia: capital verde do Brasil
O número de parques totalmente implantados na cidade, que em janeiro de 2005 era de apenas seis, foi praticamente triplicado, saltando para 23, em fevereiro de 2010, tornando-se referência nacional em termos de preservação ambiental.

Os seis parques totalmente implantados são: Areião, Vaca Brava, Gentil Meireles, Lago das Rosas, Botafogo e Bosque dos Buritis. Hoje, a cidade conta também com os Bosques do Café, José Eduardo Nascimento, Boa Vista, Bougainville e Índia Diacuí e com os Parques Flamboyant, Sabiá, Beija-Flor, Taquaral, Liberdade, Fonte Nova, João Carlos Fernandes (Parque da Lagoa), Itatiaia, Nossa Morada, Cascavel, Carmo Bernardes e Parque Bosque das Laranjeiras. Além disso, a Amma promoveu a completa revitalização do Bosque dos Buritis e finaliza agora as obras de revitalização do Lago das Rosas e do Parque Areião. Conforme um estudo realizado pela Agência, Goiânia é a capital brasileira que possui maior número de metros quadrados de áreas verdes por habitantes no Brasil.

Segundo o levantamento, Goiânia possui 94 metros quadrados de áreas verdes por habitante, superando Curitiba, que possui 51 metros quadrados de área verde por habitante e era, até então, considerada a capital brasileira que ocupava o primeiro lugar no ranking desse tipo de comparativo. A campeã mundial, a cidade de Edmonton, no Canadá, tem um quantitativo pouco maior: 100 metros quadrados de área verde por habitante. Conforme a Organização das Nações Unidas (ONU) é recomendável que uma cidade tenha pelo menos 12 metros quadrados de área verde por habitante. Goiânia supera hoje em quase oito vezes esse índice.

Goiânia também é a capital estadual brasileira com o maior número de árvores plantadas em vias públicas do País. Esse resultado também foi fruto de um estudo feito pela Amma. Conforme levantamento dos técnicos da Amma, Goiânia possui hoje cerca de 950 mil árvores plantadas em vias públicas, superando Curitiba (cerca de 300 mil árvores) e João Pessoa (cerca de 40 mil), que eram referências nacionais em termos de arborização. O estudo mostra que há 0,79 árvore por habitante em Goiânia, enquanto em Curitiba esse índice é de 0,17 e em João Pessoa de 0,06.

Serviço

Assunto:Goiânia ganha Parque Jerivá no Dia Mundial da Água

Data:22, segunda-feira

Horário:18 horas

Local:Rua Anicuns e Rua Belo Horizonte, na divisa dos Setores Vila Vera Cruz, Vila Fernandes e Centro-Oeste

Contato:Rachel Dourado-Assessoria de imprensa

3524 1117

Reportagem: Rachel Dourado e Mauro Junio

* Todos os campos são obrigatórios