Home   |    Mapa do site
Parceiros



TAGS
Notícias
Home > Notícias > Leitura de Notícia
Tamanho do texto: A- A+

26/02/10 - Mobilização marca Lançamento da Expedição ao Rio Meia Ponte 2010

A equipe do portal MeiaPonte.Org participou do café-da-manhã de pré-lançamento da Expedição ao Rio Meia Ponte 2010, realizado no auditório do Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon-GO)

Fonte: MeiaPonte.Org


O pontapé inicial foi dado na manhã de quarta-feira (24). A equipe do portal MeiaPonte.Org participou do café-da-manhã de pré-lançamento da Expedição ao Rio Meia Ponte 2010, realizado no auditório do Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon-GO). Na oportunidade diversas autoridades e representantes do governo e da sociedade civil organizada se comprometeram a angariar esforços para a realização do evento, que pretende ser um marco na trajetória das iniciativas de educação ambiental em Goiás e em todo o País.

O engenheiro Roberto Elias de Lima Fernandes, presidente do Sinduscon-GO, que presidiu a mesa de trabalho do lançamento da Expedição do Rio Meia Ponte 2010, disse em sua fala de abertura do evento que as ações em defesa da bacia do Meia Ponte devem ser pensadas de forma conjunta com a da bacia do João Leite, principalmente no sentido de se garantir recursos para a conclusão das obras que farão parte do complexo da barragem João Leite.  Ele afirmou que no processo de mobilização que será fomentado com a realização da expedição será possível envolver tanto os municípios por onde o rio passa, quanto os ribeirinhos e a comunidade em geral. “Por que não envolver todos nesta ação?” perguntou ao conclamar a participação de todas as entidades governamentais e da sociedade civil presentes.

Representando os 37 municípios goianos que fazem parte da Bacia do Meia Ponte, o presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM), prefeito Abelardo Vaz, disse que as cidades goianas enfrentam um grave problema que colabora para a poluição dos rios: a coleta e o tratamento do lixo urbano. Abelardo afirmou que a questão do lixo é hoje o principal problema enfrentado pelas administrações das cidades ribeirinhas e disse que os municípios não possuem dotações orçamentárias suficientes para sanar o problema sozinhos. O presidente sacramentou a participação da AGM na iniciativa e se dispôs a colaborar na interlocução com as prefeituras para dar suporte à expedição ao rio Meia Ponte. “O Governo Federal precisa nos ajudar a dar melhor destinação para nosso lixo, como com a construção de aterros sanitários”, enfatizou ao comentar sobre os problemas ambientais pelos quais passa os municípios que integram a Bacia do rio Meia Ponte.

Como representante da Câmara Municipal de Goiânia no evento, o vereador Fábio Tokarski (PC do B) destacou que o crescimento urbano desordenado está entre as principais causas de poluição do rio Meia Ponte. “Há fontes permanentes de poluição que devem ser combatidas”, acrescentou. Fábio lembrou que proteger o rio significa proteger também o Cerrado, já que a toda a bacia do Meia Ponte está inserida no bioma. Ao comentar sobre a expedição, o parlamentar frisou que Goiânia é uma cidade com 76 anos de vida e que a Capital, mesmo com elevados índices de arborização e qualidade de vida, sofre com uma triste estatística de ser banhada por um rio que está entre os sete mais poluídos do Brasil. “É um problema grave e todos devem unir forças para mudar esta realidade”, arrematou.

O presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis em Goiás (Ibama), Ary Soares dos Santos, ao falar com a imprensa, comentou que o grande problema dos cursos d’água está em suas margens e disse que o rio Meia Ponte está quase totalmente desprovido de vegetação ciliar. “São as matas ciliares que protegem os mananciais”, pontuou. Ary avaliou que a mobilização para que seja realizada a expedição é um processo de mobilização política fundamental e que a iniciativa deve se transformar em ações práticas em defesa do rio. “A cerca de 30 quilômetros de Goiânia, rio abaixo, já é possível encontrar águas com a qualidade bem superior no rio e o desafio é que possamos melhorar a qualidade das águas em todos os municípios banhados pelo Meia Ponte”, acrescentou.

“Outros rios muito mais poluídos foram despoluídos e por isso temos a certeza que vamos conseguir despoluir o rio Meia Ponte”. A frase é do Presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente de Goiânia (AMMA), Clarismino Júnior, que representou o prefeito Iris Rezende na solenidade. Ao fazer o uso da palavra, o presidente destacou a importância do rio Meia Ponte para Goiás e para o Brasil e garantiu total apoio de toda equipe técnica da Agência à expedição. “Com esta expedição nós vamos chamar a atenção de todos para a preservação deste importante rio cuja bacia está concentrada mais de 50% de toda a população goiana”, salientou.

Representante do governo federal no lançamento da expedição, Joedis Marques Pereira, membro da Secretaria para Assuntos Federativos da Presidência da República exclamou em seu discurso que a sociedade não pode mais dar as costas para os rios das cidades e disse que a expedição dará uma colaboração enorme para o avanço na defesa do rio Meia Ponte. “Se hoje Goiânia está aqui e é a Capital de Goiás é em grande parte pelo fato do rio Meia Ponte passar pela cidade”, completou. Joedis participou de uma expedição com mais de 400 embarcação e que abrangeu milhares de pessoas no Rio Paranaíba e se comprometeu a emprestar toda sua experiência neste tipo de projeto para a expedição pelo rio goiano. Ele garantiu que todas as esferas competentes do governo federal estarão disponíveis para ajudar na realização do projeto.

O engenheiro e especialista em recursos hídricos Marcos Correntino, atual presidente do Comitê da Bacia do Meia Ponte (Cobamp), comentou em sua breve fala que o lançamento de esgoto in natura no rio, sobretudo na região metropolitana da Capital, é um dos principais agentes poluidores do manancial. Entusiasta apela defesa do rio há anos, Correntino disse que somente uma união efetiva de esforços políticos poderá interferir de forma positiva para a despoluição do rio. “Todos os órgãos precisam abraçar a causa do Meia Ponte e participar de forma efetiva do Comitê”, observou. 

Reportagem: Renato Rodrigues

Fotos :



Comentários



Mais notícias

 

   


O conteúdo deste site é publicado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 2.5. Brasil.
A reprodução dos textos é livre, desde que citada a fonte e o autor.

Produzido por www.alicom.com.br

* Todos os campos,com exceção da mensagem,são obrigatórios

Mobilização marca Lançamento da Expedição ao Rio Meia Ponte 2010

A equipe do portal MeiaPonte.Org participou do café-da-manhã de pré-lançamento da Expedição ao Rio Meia Ponte 2010, realizado no auditório do Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon-GO)

Por MeiaPonte.Org


O pontapé inicial foi dado na manhã de quarta-feira (24). A equipe do portal MeiaPonte.Org participou do café-da-manhã de pré-lançamento da Expedição ao Rio Meia Ponte 2010, realizado no auditório do Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon-GO). Na oportunidade diversas autoridades e representantes do governo e da sociedade civil organizada se comprometeram a angariar esforços para a realização do evento, que pretende ser um marco na trajetória das iniciativas de educação ambiental em Goiás e em todo o País.

O engenheiro Roberto Elias de Lima Fernandes, presidente do Sinduscon-GO, que presidiu a mesa de trabalho do lançamento da Expedição do Rio Meia Ponte 2010, disse em sua fala de abertura do evento que as ações em defesa da bacia do Meia Ponte devem ser pensadas de forma conjunta com a da bacia do João Leite, principalmente no sentido de se garantir recursos para a conclusão das obras que farão parte do complexo da barragem João Leite.  Ele afirmou que no processo de mobilização que será fomentado com a realização da expedição será possível envolver tanto os municípios por onde o rio passa, quanto os ribeirinhos e a comunidade em geral. “Por que não envolver todos nesta ação?” perguntou ao conclamar a participação de todas as entidades governamentais e da sociedade civil presentes.

Representando os 37 municípios goianos que fazem parte da Bacia do Meia Ponte, o presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM), prefeito Abelardo Vaz, disse que as cidades goianas enfrentam um grave problema que colabora para a poluição dos rios: a coleta e o tratamento do lixo urbano. Abelardo afirmou que a questão do lixo é hoje o principal problema enfrentado pelas administrações das cidades ribeirinhas e disse que os municípios não possuem dotações orçamentárias suficientes para sanar o problema sozinhos. O presidente sacramentou a participação da AGM na iniciativa e se dispôs a colaborar na interlocução com as prefeituras para dar suporte à expedição ao rio Meia Ponte. “O Governo Federal precisa nos ajudar a dar melhor destinação para nosso lixo, como com a construção de aterros sanitários”, enfatizou ao comentar sobre os problemas ambientais pelos quais passa os municípios que integram a Bacia do rio Meia Ponte.

Como representante da Câmara Municipal de Goiânia no evento, o vereador Fábio Tokarski (PC do B) destacou que o crescimento urbano desordenado está entre as principais causas de poluição do rio Meia Ponte. “Há fontes permanentes de poluição que devem ser combatidas”, acrescentou. Fábio lembrou que proteger o rio significa proteger também o Cerrado, já que a toda a bacia do Meia Ponte está inserida no bioma. Ao comentar sobre a expedição, o parlamentar frisou que Goiânia é uma cidade com 76 anos de vida e que a Capital, mesmo com elevados índices de arborização e qualidade de vida, sofre com uma triste estatística de ser banhada por um rio que está entre os sete mais poluídos do Brasil. “É um problema grave e todos devem unir forças para mudar esta realidade”, arrematou.

O presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis em Goiás (Ibama), Ary Soares dos Santos, ao falar com a imprensa, comentou que o grande problema dos cursos d’água está em suas margens e disse que o rio Meia Ponte está quase totalmente desprovido de vegetação ciliar. “São as matas ciliares que protegem os mananciais”, pontuou. Ary avaliou que a mobilização para que seja realizada a expedição é um processo de mobilização política fundamental e que a iniciativa deve se transformar em ações práticas em defesa do rio. “A cerca de 30 quilômetros de Goiânia, rio abaixo, já é possível encontrar águas com a qualidade bem superior no rio e o desafio é que possamos melhorar a qualidade das águas em todos os municípios banhados pelo Meia Ponte”, acrescentou.

“Outros rios muito mais poluídos foram despoluídos e por isso temos a certeza que vamos conseguir despoluir o rio Meia Ponte”. A frase é do Presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente de Goiânia (AMMA), Clarismino Júnior, que representou o prefeito Iris Rezende na solenidade. Ao fazer o uso da palavra, o presidente destacou a importância do rio Meia Ponte para Goiás e para o Brasil e garantiu total apoio de toda equipe técnica da Agência à expedição. “Com esta expedição nós vamos chamar a atenção de todos para a preservação deste importante rio cuja bacia está concentrada mais de 50% de toda a população goiana”, salientou.

Representante do governo federal no lançamento da expedição, Joedis Marques Pereira, membro da Secretaria para Assuntos Federativos da Presidência da República exclamou em seu discurso que a sociedade não pode mais dar as costas para os rios das cidades e disse que a expedição dará uma colaboração enorme para o avanço na defesa do rio Meia Ponte. “Se hoje Goiânia está aqui e é a Capital de Goiás é em grande parte pelo fato do rio Meia Ponte passar pela cidade”, completou. Joedis participou de uma expedição com mais de 400 embarcação e que abrangeu milhares de pessoas no Rio Paranaíba e se comprometeu a emprestar toda sua experiência neste tipo de projeto para a expedição pelo rio goiano. Ele garantiu que todas as esferas competentes do governo federal estarão disponíveis para ajudar na realização do projeto.

O engenheiro e especialista em recursos hídricos Marcos Correntino, atual presidente do Comitê da Bacia do Meia Ponte (Cobamp), comentou em sua breve fala que o lançamento de esgoto in natura no rio, sobretudo na região metropolitana da Capital, é um dos principais agentes poluidores do manancial. Entusiasta apela defesa do rio há anos, Correntino disse que somente uma união efetiva de esforços políticos poderá interferir de forma positiva para a despoluição do rio. “Todos os órgãos precisam abraçar a causa do Meia Ponte e participar de forma efetiva do Comitê”, observou. 

Reportagem: Renato Rodrigues

* Todos os campos são obrigatórios